EM BUSCA DA PAZ 
Criar um Site Grátis Fantástico
Poesias minhas
Poesias minhas

        * Algumas das minhas poesias (publicadas pela Editora AgBook/SP):

 

 

INVEJA

 

Por que inveja?

 

Por quê?!...

 

Sentimento inferior,

 

Tão pequeno pra você!

 

É como ácido,

 

Corrói,

 

E tudo que toca

 

Destrói!

 

Inveja, por que inveja,

 

Se existe oculto em seu peito

 

Tanto bem a semear?

 

Se você não é querido,

 

Procure qual a razão,

 

Não seja pobre de espírito

 

Invejando o seu irmão.

 

Respeite aquele que cresce,

 

Ele merece louvor,

 

E você também um dia

 

Há de sentir na alma

 

A grandeza do amor!

 

Seja puro, honesto e bom,

 

Nunca olhe com desdém,

 

Pois a inveja é a dor

 

Que sente por ser ninguém!

 

 

 

VILA TRANQUILA

 

Pássaros cantando alegremente,

 

Jardins floridos, perfumados;

 

Bancos na pracinha espalhados

 

À espera de felizes namorados.

 

Campos limpos, verdejantes,

 

Árvores de folhas brilhantes.

 

Chuva fina e passageira,

 

Na noite linda e brejeira.

 

Raios solares dourados,

 

Sobre telhados molhados.

 

Por belas jovens faceiras,

 

Cães alegres e pequenos

 

São levados ao passeio.

 

Meninos que jogam bola,

 

Meninas que pulam corda,

 

Depois da missa aos domingos...

 

Esta é a minha vila,

 

Aqui eu vivo tão bem!

 

Nela nasci... vivi...

 

E quero morrer também.

 

                    

ESTOU EM PAZ!... 

Estou em paz, porque lembrei de você...

Lembrei dos momentos que ficávamos em silêncio,

De mãos dadas, observando encantados          

O cintilante beija-flor sugando o néctar da bela e vermelha rosa...

Lembrei do dia em que me confessou seu amor.

E eu, embevecida de alegria, beijei-o.

E naquele beijo, depositei todo o meu carinho.

Lembrei daquela noite estrelada...

E ouvi você jurando jamais me deixar.

Lembrei das ondas do mar quebrando na areia fina,

Produzindo um som de melodia ao meu encantamento.

Lembrei, também, do momento em que esperei em vão...

E jamais soube por que não apareceu para me alegrar.

Lembrei de tudo com nitidez.

Todos os momentos, cores, brilhos,

Nossos movimentos, todas as sensações...

Tudo o que me fazia vibrar de emoção.

E, apesar de tudo, estou em paz,

Porque lembrei de você...                          

 

 

 

            PERDIDO EM NOSSAS MÃOS

 

            O destino do mundo está

            Em nossas mãos frias,

            Orgulhosas, maldosas e cretinas,

            Que o deixam seguir tão triste sina,

            E nem tremem!...

            Tudo parece perdido...

            É a decadência, é o fim que vemos,

            Que sofremos e não percebemos

            Que podemos tudo modificar.

            O que somos, afinal?!...

            Seres evoluídos?

            Seres inteligentes?

            Oh, Deus, que polêmica!

            Evoluídos... inteligentes...

            Chega ser indecente,

            Tais dúvidas em minha mente.

            Mas, às vezes, chego a pensar

            Que pedir ao homem

            Que seja mais consciente

            E menos prepotente,

            É como pedir ao vento

            Que deixe a poeira no chão.

            O mundo está perdido

            Em nossas grosseiras mãos.

            E nunca percebemos

            Que podemos

            Tudo modificar!

 

 

            POR QUE NÃO FICAS COMIGO?                          

 

            Nada vai bem contigo! 

            Te chamo e me dizes não, 

            Fechando-me o coração. 

            Por que não ficas comigo? 

 

                        Nada vai bem contigo! 

                        Tu foges de mim se falo, 

                        Meu peito chora se calo. 

                        Por que não ficas comigo? 

 

            Nada vai bem contigo! 

            Mostro um sorriso quente, 

            Ofereço-te amor ardente 

            E não queres ficar comigo! 

 

                        Nada vai bem contigo! 

                        Meu pensamento voa, 

                        Meu grito no espaço ecoa: 

                        Precisas ficar comigo!...

 

 

            LIBERDADE 

 

Voar... voar... voar por  este espaço infinito 

Sem rumo, sem ida e sem volta... apenas voar. 

Sentir o ar quente dos trópicos,                                    

O ar gelado das montanhas brancas. 

Não parar, apenas voar... 

Ah, tão lindo lá embaixo!... 

Árvores brancas, roxas e amarelas, 

Colorindo o verde das matas. 

E o matiz do arco-íris 

Refletindo nas águas cristalinas 

Das espumantes cachoeiras?!... 

Que espetáculo aos meus olhos! 

Hotéis, pousadas, vilas tranquilas... 

Campos verdejantes e cavalos galopantes. 

Tudo sob o meu olhar! 

Chuva de sonhos trazendo-me calma, 

Lavando minha alma... 

Como é bom voar! 

Não falar, não pensar, apenas voar. 

Tudo pequenino sob o meu olhar, 

Tudo tão imenso a me rodear. 

Voar... voar... voar sem parar 

Sobre as nuvens ondulantes. 

Suave a deslizar e nunca me cansar. 

Sou leve qual pluma que o vento sopra 

Para bem distante. 

E a brisa, bem devagar, sempre a me levar... 

Continentes... planetas... galáxias... infinito. 

Tudo a me encantar! 

Jamais parar, apenas voar...

 

 

MÃE VERDADEIRA  

Se você pudesse penetrar em minha mente... 

Se pudesse ver os meus sonhos... 

Descobriria quem sou realmente. 

Sou uma criança feliz e alegre, 

Acompanhando a vida que segue 

Lenta, tranquila e cheia de amor, 

Amor puro e sincero que você me ensina. 

Seu carinho, sua paciência, sua bondade, 

São para mim a verdadeira felicidade, 

Que enche meu coração inocente 

Da alegria que muita criança não sente, 

Por não ter alguém como mãe! 

            Mãe querida, 

            Apesar de não sermos ligados 

            Pelo verdadeiro elo da vida, 

            O destino nos uniu por laços apertados. 

            E você é a mãe que tanto desejei, 

            É a mãe que sempre esperei, 

            Enquanto brincava triste, 

            Num jardim de orfanato! 

            Sei que jamais esquecerei, 

            Tudo o que faz pela minha tranquila paz! 

            Um dia, eu prometo, serei como você: 

                        Alguém valente e nobre, 

                        Que ajuda sempre o pobre, 

                        Afastando o seu sofrer. 

                        Alguém que tudo enfrenta, 

                        Que na vida tudo aguenta 

                        Para que o filho sorria 

                        E possa a vida viver. 

                        Mãe amada, 

                        Por mim é idolatrada! 

                        E ao meu lado terá guarida,

                        Quando for velha e cansada                           

                         E não mais puder suportar

                         O suor do rosto enxugar,

                        Lutando por minha vida!                                         

 

 

 

SÚPLICA                                              

 

Não 

   Queres, 

        Por 

          Ti,                    Deres, 

             Me                         Dor 

                 Dar,                       Por 

                    O                           Ti 

                       Que                       Eu 

                           Vim                     Vou 

                              De                         Sofrer

                                  Ti                               E 

                                    Buscar!                      A 

                                          Mas,                       Morte 

                                              Por                           Hei 

                                                 Deus,                        De 

                                                    Decidas                Encontrar! 

                                                 Logo                          E 

                                              Me                              Aí 

                                          Dar                             Não 

                                       O                               Vou 

                                    Que                          Mais 

                                  Vim                        Te 

                                A                          Ver, 

                             Ti                        Nem 

                          Suplicar!             Me                                                       

                        Pois                    Ver 

                    Se                        Tu 

                 O                          Poderás!... 

              Teu 

           Amor 

        Não 

     Me

 

               

AFINAL, QUEM SOU? 

Sou o sol que brilha no horizonte;

Sou as estrelas perdidas no céu;

Sou as árvores frondosas das matas virgens;

As montanhas caladas e grandiosas;

As flores silvestres e os campos verdes.

Sou os pássaros que cantam alegremente,

Os animais ferozes das florestas silenciosas.

Sou os arranha-céus e as casas toscas,

As estradas longas a percorrer.

Sou as crianças que brincam inocentemente;

Os trabalhadores na luta constante;

Os estudantes, homens futuros.

Sou a música que alegra os tristes.

Sou o ar, a chuva, o orvalho e a neve...

Afinal, quem sou?!...

Sou a NATUREZA tão bela e pura que Deus criou!

 

 

ESQUIZOFRENIA 

Devaneio... Prostração...

           Desligamento inteiro. 

                          Olhar perdido no nada, 

                                            No vazio da própria mente. 

De repente, onde estará? 

         Onde vagueia o espírito 

                          Desse ser que não mais vive, 

                                           Que não sabe se existe 

                                                          Ou se aqui já está? 

Olhar parado no ar, 

            No azul do céu celeste... 

                          Parece estar a esperar 

                                            Que Deus o venha buscar. 

Cai-lhe a chuva nos cabelos, 

                Molha os olhos a chorar, 

                                    Desbota-lhe o pensamento,

                                                         Já não tem o que pensar. 

Palavras desconexas, 

               Vazias, sem sentido, 

                                  Diz o louco ao invisível, 

                                                     Vendo tudo a cintilar. 

Vê jardins de flores verdes, 

                  Flores azuis e vermelhas, 

                                     Enquanto na mente dispersa, 

                                                          Explodem milhões de centelhas. 

O que será desse alguém, 

                 Que dizem não ser ninguém, 

                                    Quando passar um milênio 

                                                                E tudo modificar? 

          Terá a mente perfeita

                                               Ou confusa ainda estará?...

 

 

                                                         CONFLITO MUNDIAL 

 

        Mundo melancólico, mundo confuso,

         Onde os seres vivem em desordem...

  Desordem mental. E o que fazer

      Para viver neste mundo obtuso?...

 

 Mas, será o mundo obtuso?!...

            Ou obtuso são os seres que o habitam,

     Poluindo-o com seus conflitos?!...

 

 

 

                               Sou a gota cristalina do orvalho, 

                               Sou o ar saudável da manhã. 

                               Sou o verde dos campos sem fim, 

                  A

 

                               As águas dos mares azuis 

                               E das nascentes transparentes. 

                               Sou as estrelas que brilham no céu, 

                               Sou os raios do luar prateado 

                               E os raios do sol dourado. 

                 M

 

                               O sorriso doce e puro da criança, 

                               A alegria que domina os bons, 

                               Sou a coragem que gera os grandes, 

                               Sou a pureza da Virgem Santa, 

                               Sou o brilho do olhar 

                               Diante da certeza do amanhã. 

                 O

 

                               Sou a flor que desabrocha perfumada, 

                               Sou o canto da cotovia.

                               Sou quem dá tranquilidade 

                               E a tão desejada felicidade! 

                 R

 

                               Sou o AMOR que Deus semeou,

                               Para quem quiser o meu fruto colher.

 

 

NÃO VOU MORRER...

Aqui estou e aqui ainda estarei,

Quando a vida acabar.

Para o mundo,

Desaparecerei.

Mas, continuarei a olhar,

E ver tudo à minha volta...

Verei o brilho do sol no horizonte,

A lua a iluminar o amor.

Verei sorrisos no meu caminhar,

E a vida continuar

Serena... suave... sem parar.

Verei o amor, além de senti-lo

No meu olhar.

Verei o mundo girar,

Como bolinha de brincar...

Verei até o que não quero ver,

Mas, para compensar,

Verei que não vou morrer...

Que jamais deixarei

De existir,

Mesmo que não lembrem

Mais de mim!...

 

 

 

 

 

 
Clique para visualizar meus livros

Translate this Page
Enquete
Qual o animal doméstico da sua preferência?
Cachorro
Gato
Hamster
Jabuti
Calopsita
Coelho
Papagaio
Chinchila
Ver Resultados

  • Currently 3.31/5

Rating: 3.3/5 (790 votos)




ONLINE
1





Partilhe esta Página